5 formas de prazer encontradas no cinema

Segundo Aristóteles, podemos vivenciar cinco formas de prazer ao apreciarmos uma obra de arte. Neste artigo, elas estão apresentadas pelo ponto de vista do cinema. Acompanhe:

1. ESPETÁCULO

O espetáculo é tudo que gira em torno da performance sonora e visual do cinema. É, por exemplo, o trabalho fotográfico excepcional que nos leva a ficar babando com paisagens magníficas, são aqueles efeitos especiais surpreendentes ou uma aparentemente simples simetria perfeita no enquadramento de uma cena.

Todos os filmes vão apresentar pelo menos o mínimo de espetáculo. Alguns gêneros possuem essa forma de prazer como foco principal. É o caso dos filmes de ação, recheados de efeitos especiais e cenas visualmente impressionantes.

2. DOMÍNIO DA TÉCNICA

Normalmente esse tipo de prazer é sentido por aqueles que estudam e produzem arte. No caso do cinema, são os críticos, os cineastas, os aficionados por filmes, aqueles que conseguem enxergar o que acontece por trás de toda aquela produção. Quando essas pessoas assistem a um filme bem feito, elas conseguem perceber como a técnica para realizá-lo foi aplicada em sua excelência e obtém algum prazer nisso.

O público geral também consegue perceber o domínio técnico por trás de uma produção e muitos provavelmente são capazes classificar um filme como “bem feito”. Uma pessoa pode não saber articular bem o motivo disso, mas sabe que sentiu (ou deixou de sentir, no caso de um filme “mal feito”) o prazer de ver o domínio da técnica por parte dos cineastas.

3. COGNIÇÃO

Quando um filme te faz sentir que você está entendendo o que está acontecendo ali, ou até mesmo de prever a próxima situação, ele está te dando o prazer da cognição.

A cognição pode acontecer em pequenas sutilezas, como numa cena em que um revólver é insinuado ao vermos um homem caminhando na escuridão que de repente coloca uma mão na cintura. O espectador não viu o revólver mas mesmo assim sabe o que ele está ali.

O espectador supôs a intenção do personagem e por isso se sente recompensado quando, por exemplo, um tiro acontece.

4. CATARSE

A catarse é o prazer que quase todo filme busca. É dos elementos dramáticos mais importantes de uma história, aquele grande momento em que o espectador vai receber a dose imensa de sentimentos que foi construída durante todo o filme.

Normalmente acontece logo após o clímax. Após o momento de maior tensão da história, onde a questão geral que norteia aquele filme é respondida e tudo tem um fim. Após o clímax, o público está no ápice de emoção, chorando, com ódio, em êxtase ou em estado de choque. É um momento catártico. 😉

5. MAGIA

A magia é toda a conexão entre os outros quatro tipos de prazer. Todos esses elementos combinados criam para o filme, uma atmosfera quase surreal, mágica. As pessoas não entendem direito o que aconteceu com elas durante o filme, mas elas sentem que foram transportadas para outra realidade que as tocou de uma forma impressionante. Sendo assim, o filme adquire quase que uma aura mágica, única, de sua forma de arte.

Todos os filmes têm ou deveriam ter um pouco de cada um desses prazeres e por isso a experiência de um filme é tão intensa. Entender e dominar cada um dessas formas de prazer pode tornar o alcance do roteiro ainda maior.

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *